5.5.08

Isso de mim que anseia despedida
(Para perpetuar o que está sendo)
Não tem nome de amor. Nem é celeste
Ou terreno. Isso de mim é marulhoso
E tenro. Dançarino também. Isso de mim
É novo: Como quem come o que nada contém.
A impossível oquidão de um ovo.
Como se um tigre
Reversivo,
Veemente de seu avesso
Cantasse mansamente.

Não tem nome de amor. Nem se parece a mim.
Como pode ser isso? Ser terno, marulhoso
Dançarino e novo, ter nome de ninguém
E preferir ausência e desconforto
Para guardar no eterno o coração do outro.

Hilda Hilst, III poema de "Cantares do Sem Nome e de Partidas",
em Cantares
onde também está o

I

Que este amor não me cegue nem me siga.
E de mim mesma nunca se aperceba.
Que me exclua do estar sendo perseguida
E do tormento
De só por ele me saber estar sendo.
Que o olhar não se perca nas tulipas
Pois formas tão perfeitas de beleza
Vêm do fulgor das trevas.
E o meu Senhor habita o rutilante escuro
De um suposto de heras em alto muro.

Que este amor só me faça descontente
E farta de fadigas. E de fragilidades tantas
Eu me faça pequena.E diminuta e tenra
como só soem ser aranhas e formigas.

Que este amor só me veja de partida.

5 comentários:

Tata Marques disse...

Lindos. Já escutou a Mônica Salmaso cantar um poema da Hilda, musicado pelo Zeca Baleiro? Não? É lindo, lindo.

júlia disse...

obrigada pela sugestão e já escutei sim, tata. e para falar a verdade, não gosto. não sei dizer porque. talvez ache que na somatória sobram forças demais, as palavras inteiras, a linda adorável voz da mônica e a musicalidade algo confusa do zeca baleiro. não sei.

Tata Marques disse...

É. Então, se vc conhece deve ter escutado tb os outros cantos. Acontece que o da Mônica foi o único em que não encontrei essa confusão mencionada, nos demais concordo com vc.
...
E eu tocava baixo ou violão, dependendo da música.

agente laranja disse...

Identificação mórbida.

júlia disse...

tata,
a monica é uma preciosidade que onde ela toca costuma transformar em bonito.

- -
lui,
identificação mórbida?! mas são poemas tão livres!

 

Free Blog Counter