16.10.09

bom dia brasil

eu: papapapapapapai
João: Oi,Ju,ça va?
eu: êêêêêê
papaiiiiiii
tou bem preguiçooooosa
João: :D
eu: eu ia pra praia mas acho que vou estudar aqui mesmo
tem uma louça imensa pra lavar
João: Eu também, acordei pra comprar tinta, veja só
eu: papai minha aula de ontem foi INCRÍVEL
tinta de parede ou de impressora?
João: Sua mãe falou. Como foi?
eu: foi ótima, é uma aula-seminário
João: Parede.Melhor:porta
eu: todo mundo senta na mesma mesa, meio que em círculo se não fosse retangular
João: Que nem o rei Artur?
eu: é
a gente é a távola
João: E qual é o Graal que procuram?
eu: eu sou o Rei Artur papai
João: Isso eu já sabia.
eu: ah que bom não sou só eu que guardo o meu segredo
papai a aula foi sobre nietzsche
eu perdi a primeira, infelizmente, que foi sobre o romantismo alemão
João: Nietzsche? Vontade de poder e afirmação?
eu: não foi sobre
foi uma discussão a respeito dum texto de juventude dele
o "acerca da verdade e da mentira no sentido extramoral"
João: Foi nietzscheana então? Qual texto de gioventù?
eu: foi supeeeer nietzscheana
a professora é super aberta e firme ao mesmo tempo
inteligente pra caramba, uma erudição felomenal
João: Was übermoralsischesSinn ist?
eu: parle pas votre langue monsieur friedrich
curiosoooo é que ontem era aniversário do nietzsche
João: Erudição felomenal ou femolenal?
eu: papai ele enlouqueceu né?
o donato que falava Ferpeitamente e Felomenal
João: Sim, virou Dionísio-Cristo
eu: papai ele enlouqueceu ele encontrou tudo-nada e pirou legal
dionísio-cristo como assim?
João: A síntese talvez do espírito orgíaco da música + a moral
eu: entendi
mas ele pensava ou dizia que era Jesuiss Baco?
João: Não entenda tão rápido que não sei se é isso talvez nãoseja nada disso
Ele pensava-dizia, um pensar-dizer
eu: é eu tou acostumada não entendo tão rápido a vida é assim não é papai de repente não é mais
que é um pensar-dizer simultaneo?
é bonito isso né
agir-já-é
João: Sim, é preciso colher o instante como ele vem
Baco-Jesus é a realização afirmativa do trágico
eu: ai papai explica mais
João: O Cristianismo é uma moral de escravos que nega a vida propondo que a verdadeira não tá aqui,mas além. Nietzsche afirma a vida em toda a sua desordem, afirmativamente, dizendo que é preciso ter o amor fati, o amor do fado ou da sina ou do destino ou da Fortuna ou das coisas como são
Enviado às 13:43 de sexta-feira
João: O superhomem é o tipo afirmativo. Nietzsche retoma os gregos pra isso, a grande tragédia ática, Sófocles, Ésquilo, Eurípides, contra Platão. Vê em Platão e seu mundo de essências o fundador de religião na base do cristianismo
eu: papai eu sou nietzscheana também, posso?
quero ser a she-ha
João está digitando…

2 comentários:

marcos visnadi disse...

hahahahahahahahaha

Érico disse...

Isso mesmo: hahahahahahahahahaha.

 

Free Blog Counter