10.5.09

a existência, esse amarelo

sexta-feira, tendo que esperar, comprei um jornal. na 2a página citavam o JK "no Brasil, o pessimista começa errando". essa frase me deixou feliz como se fosse um verso, não a frase do presidente de Brasília, o alienígena.

de todo modo, fiquei pensando. os amigos chegaram, cerveja e leite de camelo. discutimos a moralidade ou lobby nessa coisa de proibir-se o fumo no estado de sp.

tenho que sair, que hoje é dia das mães e eu resolvi abrir a porta.

me deixo com essa: o pessimismo é, no geral, uma precaução, uma preventividade. o otimismo, ingênuo que seja, me parece uma ousadia. o pessimismo esfria, o otimismo esquenta. agora, é possível viver sem um nem outro?

6 comentários:

sabina anzuategui disse...

também o otimismo é uma necessidade. o limite do pessimismo é o suicidio, e chegando perto se percebe que um corpo vivo é difícil de destruir sem muita violencia e sangue.

então, para o corpo se manter vivo, é necessário um pouco de otimismo.

o resto é decorrência.

Orlando disse...

O limite do otimismo, por outro lado, é o Cândido. Chegando perto, se vê que ele também é capaz de explodir um corpo vivo em violência e sangue - só que sorrindo. De-modos-que a estabilidade do campo vibracional também depende de um certo pessimismo. Síntese: a bexiga é um milagre, não é? Qualquer coisinha esvazia ou estoura.

intonarumori disse...

mas também não é uma precaução dividir assim em otimistas e pessimistas? e as áreas cinzentas?

a dani disse...

o otimismo é uma aflição de pulmões cheios; o pessimismo, uma aflição de pumões vazios. cada qual na sua aflição, dependendo somente do tamanho de seus pulmões.

júlia disse...

obrigada por responderem essa questão que é mesmo real desde tempos imemoriais.



sabina: estou com você, a resistência é vital, e a vitalidade é mais resistida pelo otimismo.

não sei se você já viu, em algum lugar eu li que a meditação -budista- é tornar-se simpático a si mesmo.

me parece que o ex-suicida, se descobre isso, pode ter mais ternura por si.

- -

orlando, sim e sim de novo. o Cândido é um estúpido. o otimista pode ser um estuprador das coisas, não é? sua resposta é tremendamente adeqüada e eu sempre admirei as bexigas, ainda mais as natatórias. ;)

- -

breno, corajoso em confundir-me ainda mais. um amigo lúcido, mas é possível viver nas areas cinzentas com mais ou menos otimismo e pessimismo? é que você é forte e agüenta a marola. eu me agarro nas coisas!!

- -

dani, apesar do otimismo e do pessimismo serem paixões eu não acho que a existência seja uma aflição. mas isso sou eu, que já abdiquei de me retirar de mim mesma. e concordo que seja uma questão de pulmões, bombeamento de sangue, até. tirando a parte da aflição, concordo, pulmões murchos x pulsantes de ar.

--
beijos

bernardo rb disse...

"todo otimismo é eufemístico" pasolini

 

Free Blog Counter