10.12.06



Mas eu espalharia macadâmias nessa lembrança em pontas de navalhas
fincadas nas tábuas da sua mesa, como se no seu pulso em laços amarrasse, os fios do meu cabelo, os restos no seu rosto,
e o meu pulso, tão sem receio, silenciasse.

5 comentários:

Jeferson Ferreira disse...

belo. nosso tempo é outro.

senhoritah disse...

outro tempo de coisas outras que nem sei mais.
qual o tempo?

maricota de jesus disse...

viscoso.

Anônimo disse...

ué. não tinha outro post aqui?
(tony)

maricota de jesus disse...

gostei tanto desse blog! ´nu!

 

Free Blog Counter