2.9.06

Bem Querer

Quando o meu bem-querer me virEstou certa que há de vir atrásHá de me seguir por todosTodos, todos, todos o umbraisE quando o seu bem-querer mentirQue não vai haver adeus jamaisHá de responder com jurasJuras, juras, juras imoraisE quando o meu bem-querer sentirQue o amor é coisa tão fugazHá de me abraçar com a garraA garra, a garra, a garra dos mortaisE quando o seu bem-querer pedirPra você ficar um pouco maisHá que me afagar com a calmaA calma, a calma, a calma dos casaisE quando o meu bem-querer ouvirO meu coração bater demaisHá de me rasgar com a fúriaA fúria, a fúria, a fúria dos animaisE quando o seu bem-querer dormirTome conta que ele sonhe em pazComo alguém que lhe apagasse a luzVedasse a porta e abrisse o gás

chico buarque com maria bethânia, ao vivo

2 comentários:

e as linhas disse...

sem história; aqui é onde tudo começa

Marcio disse...

Chico é legal, mas e Júlia? Queremos Júlia!!!
Como você anda? Tenho pensado muito em você...
Beijos.

 

Free Blog Counter